Câmara de Ariquemes debate violência, uso de drogas, demora de liberação de alvarás e desemprego

abr 15 • Destaque • 912 Visualizações • Nenhum comentário em Câmara de Ariquemes debate violência, uso de drogas, demora de liberação de alvarás e desemprego

Na sessão ordinária realizada no final da tarde da segunda-feira (13), a Câmara de Vereadores de Ariquemes debateu diversos problemas que estão deixando a população da cidade preocupada como a violência, uso de drogas, demora na liberação de alvarás e desemprego.

Quem abriu os debates foi o vereador Adauto Calixto (PMN) que destacou o alto número de acidentes que acontecem nas regiões mais distantes da cidade. “Estão acontecendo muitos acidentes em nossa periferia. Muitos não sabemos, mas em outros, teve gente que até perdeu a perna. Por isso, estou pedindo para ser construído um redutor de velocidade no final da Avenida Rio Branco. Outro redutor tem que ser colocado na Capitão Silvio sentido Setor 09, próximo a travessa Urano. Ali já aconteceram vários acidentes”.

Já o vereador Amalec da Costa (PSC) tocou no ponto relacionado ao plano diretor de Ariquemes, que segundo ele está defasado, e vem prejudicando o trânsito, além de resultar no aumento da criminalidade. “Temos que criar uma comissão para rever o plano diretor da cidade. São mais de 10 anos que ninguém mexe nele. Algumas ruas estão esquecidas e já podem receber melhorias, serem revitalizadas. Algumas viraram pontos de venda e uso de drogas. Em muitas situações, conversamos com o prefeito Lorival e não deram importância. Algumas ruas no setor 08 e 11, se fossem modificadas, o fluxo favoreceria a população que não precisaria vir ao centro para resolver suas questões. Outro ponto complicado é próximo a escola Heitor Villa Lobos, nas avenidas Canaã e JK. O fluxo de carros fica prejudicado no momento da saída da escola dos alunos às 11:30 e 17:30. Já mandei uma indicação ao Executivo para fazer uma passarela ali, mas ninguém me respondeu”.

João Leite (PP) falou sobre as obras irregulares no município, que causam transtornos para toda a população. “Eu venho cobrando sempre da Prefeitura para que coloque seus fiscais nas ruas. Muita gente faz construções irregulares. Eu ando por aí, tem gente deixando materiais nas ruas, nas calçadas, impedindo as pessoas de irem e virem. Mas, fiquei sabendo que a Prefeitura não tem mais fiscais. Recentemente, foi construída uma calçada por uma igreja evangélica com um grande declive. O fiscal chegou lá e disse que estava ao meu pedido. Eles tem que estar lá à pedido da Prefeitura, a pedido do bem comum. Não em nome deste ou daquele vereador. Eu quando vejo coisas erradas, eu não me calo nem vou me calar”.

Lano Matias (PSC) destacou a falta de asfalto em diversas ruas de residenciais de Ariquemes, além da falta de ação para recuperar os viciados em drogas que estão em diversos pontos da cidade. O vereador também demonstrou a revolta pela demora na liberação dos alvarás para os empresários. “Tem um cidadão, que no desespero, colheu mais de 500 assinaturas para mover uma ação civil pública contra o município por falta de asfalto. As construtoras como a Vanvera e a Coliseu fizeram os residenciais, não passou pro Executivo, e com as chuvas, alagou tudo e o asfalto já era. Daqui a pouco, vão perguntar cadê os vereadores, porque a população está se mobilizando. O Legislativo não fiscaliza e o Executivo não faz. Temos que cobrar dos secretários do Planejamento e Obras para chamar esses empresários para recapear novamente essas ruas. Se não, daqui a cinco anos, repassam para o município e a bomba vai pra eles. Outro problema grave que vem nos deixando preocupados é a questão dos viciados, ali na Matriz. Tem um senhor que atende 10 pessoas levadas pelos familiares e ele atende. Em alguns casos, só basta uma pequena estrutura para ajudar essa gente. Duvido se a gente não for atrás do deputado Alex Redano, a gente não consegue recursos pra fazer um mutirão junto com o pessoal da saúde pra ressocializar esse povo. Vamos procurar a Secretaria da Paz pra conversar. Vamos trazer as famílias para esse plenário. Temos que fazer a promoção social dessas pessoas, porque muitos não têm nem onde morar. Como está a situação do abrigo do município? Tem casas que tem cinco, seis crianças. Como o município vai dar apoio pra elas? Se encontrarmos uma garota viciada de 14 anos, como vamos ajudá-la? Será que tem condições? Temos que parar de tapar o sol com a peneira, se não, isso vem pra cima da gente. Mudando de assunto, temos outra questão grave, onde um alvará de funcionamento demora quatro, cinco meses pra sair. Nunca ninguém foi a Porto Velho saber porque o bombeiro daqui não pode liberar. Temos que levar essa discussão para a comissão de obras. Será que é normal uma pessoa levar quatro, cinco meses para conseguir a liberação do alvará? Será que é normal o cidadão dizer que há 12 anos tenta regularizar o imóvel para pagar IPTU? Já passou da hora do prefeito marcar uma audiência com o governador do Estado para saber o que está acontecendo. Chamar o comandante do Corpo de Bombeiros para participar desse encontro”.

Raidy Alves (PMN) tocou em um ponto sensível que vem deixando várias famílias preocupadas que é a falta de empregos em Ariquemes. Para ele, falta fomentar mais o setor primário, que é muito forte na região do Vale do Jamari. “Uma coisa que vem me preocupando bastante é a questão da geração de emprego. Essa casa recebe repasses em cima da arrecadação do município. Se cai a arrecadação, cai o repasse. O Fundo de Participação dos Municípios está tendo uma queda. Temos que fomentar a questão da indústria em Ariquemes. Não temos garimpo, não temos madeireiras. Devemos nos unir para movimentar a economia. Já estive com o secretário de Agricultura, Joel, para mexer nisso aí. Se você vai no comércio, os empresários estão com problemas de dinheiro. A procura de emprego está grande em Ariquemes. Temos que movimentar a economia para gerar 100, 200, 300 empregos diretos. No comércio, a demanda está baixa. Temos que fomentar o setor de matéria prima para criar as demandas para o comércio. Mas, isso só será feito por meio da união. Estou bastante preocupado com a situação financeira da cidade”.

O vereador Renato Padeiro (PMN) também falou sobre a falta de segurança em diversos pontos da cidade. “A questão da segurança pública vem me preocupando em nossa cidade. Não podemos frequentar mais algumas praças nem o Jardim Botânico com nossas famílias nos finais de semana por conta dos bandidos. Recebi uma carta feita por vários moradores da área do Rebojo, onde até mesmo carros e motos estão sendo abordados. Temos que procurar o secretário da Paz, Thiago Flores, para ver no que ele pode nos ajudar”, encerrou ele.
Fonte:RONDONIAVIP

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »