Ouro Preto: Suspeito do assassinato do ex-presidente da Câmara dos Vereadores Edson Gasparoto foi preso

ago 3 • Destaque, Polícia02, Todas as Notícias • 117 Visualizações • Nenhum comentário em Ouro Preto: Suspeito do assassinato do ex-presidente da Câmara dos Vereadores Edson Gasparoto foi preso

Um foragido da Justiça com pelo menos três mandados de prisão em aberto e, considerado criminoso de alta periculosidade por envolvimento com crimes de homicídio e latrocínio, foi descoberto pela Polícia Judiciária Civil, após ser preso em flagrante pela Polícia Militar, no município de Aripuanã/MT (1.002 km a Noroeste), na tarde de segunda-feira (31.07).

Josimar Alves da Silva, 37, conhecido como “Bicho Papão”, é acusado de crimes de homicídios no Estado de Rondônia. Ele foi conduzido pelos policiais militares à Delegacia de Polícia da cidade, após ser preso em poder de uma arma de fogo, uma pistola de calibre 9 milímetros.

Inicialmente, o suspeito apresentou-se com o nome de José Marcos da Silva e foi autuado em flagrante pelo crime de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

No entanto, no decorrer da confecção dos autos de prisão em flagrante, a escrivã de polícia desconfiou do detido e, durante buscas pelo sistema, a Policial Civil conseguiu levantar a verdadeira identidade do preso.

Em Rondônia ele respondia por uma tentativa de homicídio, quando na época deu um tiro no rosto de um empresário. Ele estava na companhia de outro homem que continua solto.

Ele é suspeito de ter matado o ex-presidente da Câmara dos Vereadores de Ouro Preto do Oeste/RO, Edson Gasparoto. O político foi morto a tiros na hora do jantar, em um restaurante às margens da BR-364 no dia 15 de agosto de 2007.

O suspeito estava recolhido na Cadeia Pública de Água Boa (730 km a Leste), onde responde por crimes de homicídio, porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e uso de documentos falsos. Em fevereiro deste ano foi colado em liberdade por um equívoco do sistema.

Contra o preso constam também suspeitas de participação de um homicídio cometido no início de 2016 em Campo Verde, além de ele ser condenado pela Justiça de Rondônia, a pena de mais de 21 anos de prisão por homicídio.

Diante dos fatos averiguados, o preso foi indiciado novamente por uso de documento falso. Em seguida encaminhado ao Presídio de Juína, ficando à disposição da Justiça.

FONTE: www.noticias190.com.br
Jefferson Santos

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

Rondônia Manchete
www.rondoniamanchete.com.br