Plantio de soja em Rondônia apresenta atraso por falta de chuva

nov 18 • Agricultura e Pecuária, Destaque • 158 Visualizações • Nenhum comentário em Plantio de soja em Rondônia apresenta atraso por falta de chuva

Devido o atraso nas chuvas em algumas regiões do estado de Rondônia, o plantio da soja também precisou ser adiado. Agora, produtores rurais correm contra o tempo para concluir o plantio.

Os produtores Edis Sinpolis e Antonielly Rottoli têm cerca de 5 mil hectares de soja em diversas áreas no Vale do Jamari, e contaram com ajuda da chuva para semear o grão. O serviço atrasou cerca de 10 dias e a primeira área plantada foi em Rio Crespo, ainda em setembro.

No entanto, em outubro o tempo não colaborou na região de Alto Paraíso (RO). Na reta final do plantio foi preciso acelerar o trabalho com as máquinas em todo o campo para que não houvessem prejuízos mais para frente.

“A gente está aqui correndo contra o tempo. Apesar do ano ser grande, 365 dias, um dia aqui faz a diferença em toda a cadeia da produção. Nessa área foi feito soja no verão do ano passado, safrinha e ainda conseguimos fazer essa cobertura com rosilience”, explica.

Mesmo com a demora no plantio, a expectativa do agricultor é de uma boa safara nos três municípios em que cultiva o grão no Vale do Jamari. Em outras cidades de Rondônia, a chuva demorou mais a chegar, e em muitas regiões só foi aparecer em novembro.

“A gente tem que começar a olhar mais para o clima. A agricultura parte da seguinte premissa: eu tenho que olhar para baixo e eu tenho que olhar para cima. Eu tenho que olhar para baixo para ver se meu solo está bom, e eu tenho que olhar para cima para ver se São Pedro está deixando eu plantar. O que está acontecendo, o produtor muitas vezes quer se espelhar em outras regiões onde o pessoal antecipa o plantio. Eu não posso querer plantar da mesma forma em todas as regiões do estado”, diz o pesquisador da Embrapa, Vicente Godinho.

Vicente explica que a seca prolongada deixa o produtor apreensivo devido a fatores econômicos, com a possibilidade do replantio do grão e até mesmo o surgimento da ferrugem asiática.

“Quando eu atraso o plantio da soja, eu atraso o plantio da cultura de sucessão, e aqui tem um outro problema que está entrando que é a ferrugem da soja. A gente não sabe quando ela vai começar esse ano. Se ela começar cedo, esse pessoal que plantou mais tarde com certeza vai ser muito prejudicado”, fala o pesquisador.

Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Rondônia é o terceiro maior produtor de soja da Região Norte, com uma área de mais de 300 mil hectares. A previsão é de que sejam colhidos mais de 1 milhão de toneladas de soja em 2020.

Fonte:G1/RO

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »