Rondônia pretende vacinar 13,1 milhões de cabeças de gado contra febre aftosa

out 7 • Destaque • 497 Visualizações • Nenhum comentário em Rondônia pretende vacinar 13,1 milhões de cabeças de gado contra febre aftosa

Com a previsão de vacinar 13,1 milhões de cabeças de gado em todo estado, o Governo de Rondônia lança no próximo dia 10, no município de Nova Mamoré, a 39ª etapa de vacinação contra a febre aftosa. A estratégia de acompanhamento e fiscalização vai envolver mais de 500 técnicos da Agência de Defesa Agrossilvopastoril (Idaron), entre médicos veterinários, agrônomos e técnicos em agropecuária.

A campanha, segundo o veterinário Márcio Alex Petró, coordenador da campanha contra a febre aftosa da Idaron, acontecerá de 15 de outubro a 15 de novembro, e deverá ser comprovada no órgão até 20 de novembro, data em que começa o levantamento da cobertura vacinal que deverá apontar um crescimento do rebanho bovino superior à estimativa de 13,1 milhões e cabeças.

Segundo o coordenador, está tudo pronto para o início da campanha, que pretende atingir 100% das propriedades de Rondônia, em virtude da importância da vacinação e da consequente sanidade do rebanho, fator que influi diretamente na economia estadual, tendo em vista que a carne é o principal produto da pauta de exportações do estado, e que contribui como principal segmento do setor produtivo na geração de emprego e renda.

Petró afirma que embora o pecuarista de Rondônia tenha consciência do seu papel neste processo, nunca é demais lembrar a todos da importância do planejamento prévio para realizar a vacinação, como encomendar a vacina na quantidade necessária e em tempo hábil para evitar surpresa; e adotar medidas de conservação adequadas para que ela surta o efeito desejado.

No lançamento da campanha em Nova Mamoré, além do governador Confúcio Moura, estarão presentes o presidente da Idaron, Alfredo Volpi; o secretário da Agricultura, Evandro Padovani, o presidente da Emater, Luiz Gomes Furtado; entre outras autoridades estaduais e municipais.

Fonte
Texto: Cleuber R Pereira

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »