Aproveitamento de 76,6% e fidelidade do grupo: veja números da Era Dunga

jul 21 • Destaque, Esportes • 1279 Visualizações • Nenhum comentário em Aproveitamento de 76,6% e fidelidade do grupo: veja números da Era Dunga

A primeira passagem de Dunga como treinador da seleção brasileira aconteceu entre 2006 e 2010. A estrela da companhia era Robinho. O camisa 9, Luís Fabiano. Ronaldinho foi deixado de lado ao longo da caminhada. E no gol foram testados apenas quatro nomes, entre eles Julio César, titular das Copas de 2010 e 2014. Foram 60 partidas e duas conquistas (Copa América de 2007 e Copa das Confederações de 2009). Entre amistosos e jogos oficiais, o retrospecto foi de 42 vitórias, 12 empates e apenas seis derrotas – aproveitamento de 76,6%.

Na próxima terça-feira, a partir das 11h (de Brasília), quando será apresentado como comandante do time canarinho na nova sede da CBF, na Barra, Zona Oeste do Rio de Janeiro, ele iniciará uma nova era. A segunda Era Dunga como técnico da Seleção.

Dos 60 jogos da primeira passagem de Dunga pela Seleção, ele só não comandou dois do banco de reservas. E tudo por conta de ter sido expulso no amistoso contra o México, no dia 12 de setembro de 2007. Naquela ocasião, o Brasil venceu os rivais por 3 a 1. O treinador ficou fora das partidas diante da Irlanda e Suécia, logo no início de 2008. Ao todo, durante o período em que comandou o time canarinho, o técnico utilizou 70 jogadores.

 

O volante Gilberto Silva, hoje no Atlético-MG e com 37 anos, foi quem mais atuou sob a batuta de Dunga. Foram 54 partidas. Em seguida aparecem o atacante Robinho (30 anos), com 53 jogos e 21 gols, e o lateral-direito Maicon (32 anos), com 51 e cinco bolas na rede dos rivais. Porém, o artilheiro da primeira Era Dunga como treinador da seleção brasileira foi Luís Fabiano, atualmente no São Paulo e com 33 anos. Ele esteve em campo em 31 oportunidades e fez 22 gols.

E, ao que tudo indica, os donos dos principais números na primeira passagem de Dunga na Seleção não terão uma nova oportunidade sob o comando do treinador. Robinho, por exemplo, está de malas prontas para deixar o Milan e defender um clube no Brasil antes de seguir para o Orlando City. O mesmo destino terá o meia-atacante Kaká, outro nome importante em 2010. Após defender o São Paulo, ele vai para a Major League Soccer (MLS), liga de futebol dos Estados Unidos. Sob o comando do treinador, ele fez 40 jogos e marcou 14 gols.

Outro dado que chamou a atenção nos números de Dunga foi a fidelidade aos jogadores que mais atuaram e ajudaram na construção do bom retrospecto do treinador. Apenas quatro dos 23 convocados para a Copa do Mundo fizeram menos de dez participações nos 60 jogos de Dunga no comando da seleção brasileira: o goleiro Gomes, o zagueiro Thiago Silva, o volante Kleberson e o atacante Grafite. O último entrou em campo apenas três vezes antes de ver o seu nome na lista final dos atletas que foram à África do Sul.

Os demais atletas que foram chamados para o torneio, que acabou com a eliminação para a Holanda nas quartas de final da competição, em partida disputada em Porto Elizabeth, tiveram mais de dez participações com o capitão do tetra. De todo o grupo, mais de 70% participou de praticamente toda a Era Dunga antes de ter o nome confirmado na equipe disputou o torneio na África do Sul.

Dos 11 titulares durante o torneio, Michel Bastos foi quem menos entrou em campo. Foram dez jogos com Dunga.  O zagueiro Thiago Silva e o atacante Nilmar entraram em campo pela primeira vez com o treinador apenas no fim de 2008. Os volantes Felipe Melo, Ramires e Kleberson só tiveram oportunidades em 2009. Todos se garantiram na equipe graças a boas atuações ao longo dos amistosos e das eliminatórias para a Copa do Mundo da África do Sul.

 

 

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »