Com jornada dupla, socorrista do Samu faz sucesso como cantora

jun 28 • Geral • 757 Visualizações • Nenhum comentário em Com jornada dupla, socorrista do Samu faz sucesso como cantora

Entre um plantão e outro como socorrista do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), a enfermeira Cláudia Tailayne Alves de Oliveira, de 26 anos, adota outro nome: Tatá Bonela. É com esse nome artístico que a cantora de Ariquemes (RO), na região do Vale do Jamari, se apresenta em shows durante os finais de semana. No último 15 de maio, a jovem abriu o show da dupla Simone e Simaria, no interior do estado.

No meio musical, Tatá Bonela faz shows de músicas sertanejas, pop, arroxa, dentre outros estilos, para diversas cidades do estado. A paixão pela música vem literalmente desde o berço. Ela garante que com pouco mais de um ano de idade já cantava várias canções sem errar uma letra. A facilidade em cantar sempre chamou a atenção dos pais e familiares. “Desde muito pequena, meus pais sempre me pediam para cantar”, conta.

Apesar da admiração dos pais pelo talento da filha, Tatá revela que a ordem foi para se dedicar aos estudos, por isso decidiu ingressar no curso de enfermagem. Durante o curso, ela conta que sempre se apresentava em festivais da faculdade, mas até então a carreira musical estava guardada na gaveta.

“Nessa época, conheci pela internet o meu marido, André Castro, que fazia faculdade de medicina na Bolívia. Nossa relação foi uma paixão de adolescente que deu certo. Ele veio morar em Ariquemes, casamos e tivemos dois filhos, o Lucas de seis anos e o Matheus de três. Quando as crianças chegaram, pensei que com duas crianças não seria mais possível cantar nas noites, mas meu marido sempre me incentivou”, revela.

No ano de 2014, o sonho de ser cantora ressurgiu para Tatá após conhecer um casal que ficou encantado com seu talento e a presenteou com instrumentos musicais. “Eles amaram quando me ouviram cantando, na época ainda fazia dupla com o meu amigo Jean. Nós não tínhamos conhecimento e nem dinheiro para montar uma banda. Este casal nos ajudou muito. Eu ainda fazia faculdade, tinha dois filhos pequenos e, por isso, fazia shows somente em barzinhos”, comenta.

Com o término da faculdade, Tatá conta que se dedicou ao trabalho como enfermeira e passou a atuar em um posto de saúde em Ariquemes. “Fui trabalhar no posto de saúde cinco dias por semana, e por um tempo me desliguei da música, pois ficava muito intenso conciliar os dois trabalhos. Decidi fazer um curso de urgência e emergência. Após o término, fui chamada para atuar no Samu de Cujubim, onde trabalho atualmente. Me apaixonei pela área e pedi demissão do posto de saúde”, disse.

A veia musical ainda pulsava forte em Tatá e, mesmo com o trabalho no Samu, ela montou uma banda com músicos profissionais e, hoje, faz shows em cidades da região do Vale do Jamari e demais localidades do estado. “Faço plantões, canto e cuido dos meus filhos. Amo as duas profissões. Sou realmente apaixonada pela área da saúde e a música sempre falou alto na minha vida. Hoje, vejo a música como trabalho e não somente diversão. É desafiador conciliar as duas carreiras, principalmente porque tenho que estudar sempre as letras, ritmos e tons. Acho que cantar e cuidar de pessoas é dom de Deus”, conclui.
Fonte:G1

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »