Em RO, nível do Rio Jamari está em zona de atenção, diz Defesa Civil

fev 15 • Geral • 2083 Visualizações • Nenhum comentário em Em RO, nível do Rio Jamari está em zona de atenção, diz Defesa Civil

O nível do Rio Jamari, em Ariquemes (RO) está em zona de atenção, conforme dados da Companhia de Pesquisas de Recursos Minerais (CPRM) – Serviço Geológico do Brasil. Quando chove, moradores ribeirinhos relatam que a água do rio ameaça entrar nas residências. No primeiro fim de semana de fevereiro moradores afirmam que a água do rio chegou aos quintais das residências, mas a Defesa Civil afirma que a situação está sendo monitorada.

De acordo com a CPRM, na manhã desta segunda-feira (3), o nível do rio marcava 9,22 metros. Número que registra zona de atenção. De acordo com o engenheiro civil do órgão, Franco Turco Buffon, o nível médio do rio na época de chuvas pode variar de cinco a sete metros de profundidade. Já na seca, não deve passar de três metros. Em 1998 esses números ficaram bem acima do normal e o Jamari atingiu sua cota mais alta, com o valor de 12,33 metros, e transbordou. “Estes dados são baseados na série histórica do nível do rio, que é monitorado desde 1970”, explica.

A dona de casa Cleidiane Gomes Pereira mora há seis anos no fim da Rua Beira Rio, no Bairro Mutirão. Ela afirma que todos os anos têm problemas com alagamentos, em virtude do aumento do nível do Jamari. O autônomo Amarildo Barreto conta que este fim de semana, a água do rio transbordou e invadiu o quintal de casa.

Por causa do problema, o operador de draga Valmir Wingert está construindo uma nova casa, em palafita. “Todo ano, na época das chuvas, já sabemos que a água vai invadir os quintais e até nossas casas. A prefeitura já fez nosso cadastro para nos retirar daqui, mas até hoje nada, então, o jeito é improvisar”, enfatiza. No fim de semana, um barco parou no quintal da casa dele, após rio transbordar por conta da chuva.

Segundo a Defesa Civil, a situação dos ribeirinhos está sendo monitorada diariamente, no entanto, o órgão não soube informar quantos moradores podem ser prejudicados, caso o nível do rio continue aumentando. “Estamos acompanhando a situação dos moradores, e caso seja necessário, vamos encaminhá-los para realocação”, explica a coordenadora da Defesa Civil Elis Regina Pereira.

Procurada pelo G1, a secretária interina de Desenvolvimento Social (Semdes), Rosicléia da Silva, explicou que mais de 600 casas populares estão previstas para ser entregues em Ariquemes ainda este ano. “Os moradores destas áreas de risco serão prioridades na habitação”, enfatiza.

 

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »