‘Estava bem feliz’, diz mãe de menino de 1 ano que mordeu cobra no RS

nov 3 • Geral • 622 Visualizações • Nenhum comentário em ‘Estava bem feliz’, diz mãe de menino de 1 ano que mordeu cobra no RS

Depois do susto, a mãe de Lorenzo, de um ano de idade, já ri do episódio que marcou o domingo da família da cidade de Mostardas, no Litoral Sul do Rio Grande do Sul. Jaíne Ferreira Figueira flagrou o filho com uma cobra na boca, na sala de casa. O menino não levou nenhuma picada, e o bicho acabou morrendo.

(Correção: ao ser publicada, essa reportagem errou ao informar que a cobra mordida pela criança era uma jararaca. Segundo a bióloga Maria Lúcia Machado Alves, especialista em serpentes do Museu de Ciências Naturais da Fundação Zoobotânica do Rio Grande do Sul, trata-se de um exemplar da espécie Erythrolamprus poecilogyrus, não venenosa epopularmente conhecida como cobra-verde ou cobra-do-capim. O texto foi corrigido às 16h55).

A mãe contou ao G1 nesta segunda-feira (2) que a família nunca viu cobra na região onde mora, muito menos no pátio de casa. Foi lá que o menino Lorenzo encontrou o réptil, enquanto brincava.

“Percebi que ele estava muito quietinho e fui ver se alguma coisa havia acontecido. Mas ele já estava na sala, e com a cobra na boca, mordendo ela”, contou.

Assustada, Jaíne lembra que não conseguiu tirar a cobra das mãos do filho, e chamou o marido para ajudar. “Ele tirou, e ela continuou se mexendo no chão. Ele [Lorenzo] tinha sangue na boca e nas mãos.”

No momento em que a cobra foi retirada de Lorenzo, a mãe conta que o menino chorou porque queria continuar brincando com o bicho. “Ele estava bem feliz, quando meu marido gritou, ele ficou brabo”, sorri Jaíne.

Imediatamente após retirarem a cobra de Lorenzo, os pais levaram o menino ao Hospital São Luiz. Atendido pelo médico Gilmar Carteri em Mostardas, passou por exames e foi liberado. Segundo o médico que atendeu a criança, a cobra era um filhote de jararaca, que é venenosa, o que acabou não se confirmando.

“Ele mordeu esse filhote de jararaca bem próximo da cabeça, o que acabou imobilizando a cobra e evitou que ela o picasse”, salientou o médico ao G1.

Gilmar entrou em contato com o Centro de Informação Toxicológica do Rio Grande do Sul e duas horas depois recebeu as orientações sobre os exames que deveriam ser feitos para descartar a possibilidade de intoxicação.

“Por sorte nada aconteceu e os exames confirmaram que ele não tinha sofrido nada”, comemorou o médico.
 

A criança já se recupera em casa e está bem, afirma a mãe.

 

Fonte: G1

Família fotografa com médico e enfermeira que atenderam Lorenzo (Foto: Patrícia Martins/Arquivo Pessoal)Família fotografa com médico e enfermeira que atenderam Lorenzo (Foto: Patrícia Martins/Arquivo Pessoal)

 

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »