Audiência pública discute futuro e problemas das Faculdades Integradas de Ariquemes (FIAR)

ago 30 • Destaque, Notícias • 456 Visualizações • Nenhum comentário em Audiência pública discute futuro e problemas das Faculdades Integradas de Ariquemes (FIAR)

Uma audiência pública proposta pelo deputado estadual Alex Redano (SDD) aconteceu na manhã desta sexta-feira (28), na Câmara de Vereadores de Ariquemes. O evento discutiu a situação jurídica, acadêmica e financeira das Faculdades Integradas de Ariquemes (FIAR). O plenário da Casa Municipal de Leis ficou lotado de alunos, ex-alunos, professores, ex-professores, autoridades e a população em geral que está preocupado com a situação calamitosa em que se encontra a instituição de ensino superior.

Logo na abertura da atividade, Alex Redano destacou os rumos que a FIAR está tomando e a atual situação da faculdade traz transtornos aos acadêmicos. “Na questão envolvendo o prédio, estamos sem solução, já que ele vai à leilão no próximo dia 05 de setembro. Estou falando isso para sensibilizar a população e as autoridades que estão ligadas ao problema gravíssimo que todos estão vivendo, especialmente os alunos e ex-alunos da FIAR”, disse ele.

Dentre outras coisas, os acadêmicos reivindicam a entrega imediata do histórico escolar; entrega imediata dos diplomas aos alunos que se formaram; o pagamento imediato dos funcionários; definição de quem ficará responsável pelas dívidas da faculdade e qual grupo ficará com a gestão ou então uma intervenção judicial para não prejudicar o andamento dos cursos.

Em seguida, quem falou foi o advogado que representa os funcionários da FIAR, Romildo Fernandes, que fez um panorama grave da instituição. “Ela está em crise. Existem questões legais e institucionais em relação aos cursos. Há duas instituições, que é a FIAR mantida, que cuida da grande estrutura como alunos, professores, direção geral e outras, e, o Centro de Ensino Superior de Ariquemes (Cesuar), que é a mantenedora e banca tudo isso. Eu sei dessa situação porquê fui diretor-geral entre 2012 e 2013. Há atrasos de salários, falta de investimentos na biblioteca e laboratórios, além de corpo docente (professores). Os recorrentes atrasos salariais viraram rotina desde 2009. Alguns conseguiram parcelamento em 12 vezes, outros em 16. Isso resultou em uma decisão recente publicada no Diário Oficial da União que proíbe a abertura de novos cursos de graduação e pós-graduação por dois anos. A FIAR há tempos não entrega os diplomas para os alunos ou ex-alunos. Falaram para eu conseguir uma instituição para registrar os documentos. Por isso, entramos com uma ação na Justiça que resultou em uma decisão que obriga a UNIR a registrar os diplomas em 60 dias após o protocolo feito pelos alunos. Muitos estão sendo prejudicados por conta de exames para mestrado, doutorado ou melhorias salariais em planos de carreiras no serviço público. Agora, veio o corte de energia. Não dá mais para ficar nessa situação!”,
desabafou ele.

Depois, foi a vez da representante dos alunos e ex-alunos, Naiara Bento, formada em Ciências Contábeis em 2014, que apontou as dificuldades de todos. “Quando comecei o curso em 2011, já havia falta de professores, atraso de salários e do pagamento de fornecedores. Até hoje, não consegui receber meu histórico escolar. Vários ex-alunos estão com esse mesmo problema, até piores, já que não podem finalizar processos nos conselhos de classe ou tomar posse em concursos públicos. Houve uma reunião no dia 30 de julho para resolver essa situação do histórico, e um mês depois, ainda não resolveram. No dia 03 de agosto, uma comissão de professores iria assumir a FIAR, mas está tudo na mesma. Antigamente havia 1.500 alunos. Hoje, há 300. Há bolsistas, FIES e nem todos pagam mensalidade. Como vão salvar a faculdade? Professores estão sem receber desde janeiro. Em alguns casos, nunca houve pagamento de FGTS”.

O diretor-geral da FIAR, Elizandro Pereira, apontou que novas ações estão sendo tomadas para melhorar a situação. “Convidei uma comissão de professores e alunos para começar a sanar as questões salariais dos técnicos administrativos que já começaram a receber os salários atrasados. Em setembro, haverá o pagamento do salário de agosto dos professores. Dia 13 de agosto, já trouxemos mais de 100 diplomas de Porto Velho registrados. Depois, vamos sentar com a comissão para ver o parcelamento dos demais meses de salários atrasados. A partir de hoje, sexta-feira, já estamos imprimindo os diplomas e históricos escolares atrasados. Já na segunda-feira (31), mais diplomas serão enviados para registro na UNIR de Porto Velho”.

Complementando o posicionamento da FIAR, o advogado da entidade, Hadamés Monteiro que haverá um novo jeito de administrar a faculdade. “As dívidas são elevadas. O passivo atual foi gerado por estratégia errada, baseada em acordos judiciais. Em 2012, houve um descontrole dos antigos sócios. O nosso objetivo agora é evitar novas demandas e mais dívidas. A gestão compartilhada com os professores dá mais segurança a todos”, minimizou ele.

Também participaram da reunião vereadores de Ariquemes (Lano Matias, Loro da Sucam e João Leite), o juiz do trabalho Cléverson Alencar, o defensor público Vítor Hugo de Souza, o representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Brian Griel, o delegado regional da Polícia Civil, Renato Morari, representante da UNIR, Humberto Takeda, além do representante da Eletrobras, Vilson Augusto da Silva.

Texto:Felipe Corona

Foto:Marcos Neris

01 02 03

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »

Rondônia Manchete
www.rondoniamanchete.com.br