POLÍCIA PROCURA HOMEM QUE DEFORMOU ROSTO DE SUA MULHER A GOLPES DE CAPACETE

mar 10 • Notícias, Polícia • 1872 Visualizações • Nenhum comentário em POLÍCIA PROCURA HOMEM QUE DEFORMOU ROSTO DE SUA MULHER A GOLPES DE CAPACETE

 

mulher de 36 anos de idade foi agredida violentamente pelo próprio amásio a golpes de capacete na tarde do último sábado (7). A agressão foi tamanha que o rosto da vítima ficou desfigurado. O crime ocorreu na rua Afonso Pena, em Ouro Preto do Oeste. O agressor é Flávio Salviano, um vigilante da empresa Ronda.

 

Relatos da polícia informam que, ao chegarem à residência onde estaria ocorrendo uma briga entre o casal, encontraram a vítima com lesões no olho esquerdo, nariz, maxilar e na cabeça e que a mesma estava sendo socorrida por uma equipe do Corpo de Bombeiros.

 

conforme consta no Boletim Policial, testemunhas disseram que o suspeito utilizou-se de um capacete para desferir os golpes na vítima e que, em seguida, fugiu do local em uma motoneta Biz. A Polícia Militar foi até o hospital para colher mais informações, porém, devido à gravidade dos ferimentos, a vítima não conseguia conversar, tendo sua irmã repassado os dados da agredida e do agressor. De acordo com relatos de testemunhas, após agredir a companheira com o capacete, Flávio ainda teria chutado o rosto da vítima quando ela estava no chão.

Hospital
Segundo um dos enfermeiros do Hospital Municipal Drª Laura Maria Braga que prestou atendimento à vítima, a mesma sofreu lesão no nariz e um edema no olho esquerdo. A agredida reclamava de fortes dores no nariz e no maxilar e, por esse motivo, o médico que a atendeu solicitou que fosse feita uma tomografia da face. A vítima está com o maxilar fraturado e a cirurgia deve custar algo em torno de R$ 9 mil

A Polícia 
Em contato, o delegado Júlio César Souza informou que não houve flagrante, tendo em vista que o suspeito não foi localizado. Porém, disse que será instaurando o inquérito policial por lesão corporal e que foram determinadas todas as diligências previstas na Lei Maria da Penha. O delegado também explicou que neste caso não cabe requerer a prisão preventiva, uma vez que a pena é inferior a 4 anos. Frisou também que haveria essa possibilidade caso o agressor estivesse descumprindo a medida protetiva, mas que não foi o caso. Flávio continua foragido. Informações sobre seu paradeiro podem ser repassadas diretamente a Polícia Militar, pelo número 190.

 

 



Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »