Delegacia do interior de Rondônia cria equipe especializada e soluciona 98,7% dos assassinatos em oito anos

fev 8 • Polícia, Todas as Notícias • 148 Visualizações • Nenhum comentário em Delegacia do interior de Rondônia cria equipe especializada e soluciona 98,7% dos assassinatos em oito anos

Uma delegacia do interior de Rondônia conseguiu solucionar, em oito anos, 98,73% dos homicídios registrados na unidade. Com cerca de 34 mil habitantes, segundo dados da Polícia Civil, Pimenta Bueno teve 79 assassinatos desde 2009 e, deste total, os investigadores ficaram desvendaram a autoria de 78 crimes e 64 casos viraram ações penais.
Segundo o titular da delegacia da cidade, Juarez de Morais Lourenço, a polícia classifica o caso como solucionado quando o autor do crime é identificado e o inquérito é concluído.
Os números de mortes solucionadas em Pimenta Bueno estão acima dos registrados em outras cidades do estado. Um levantamento feito pela Delegacia Regional de Polícia Civil, responsável por 49 dos 52 municípios de Rondônia, aponta que 52% dos crimes contra a vida costumam ser solucionados, em média.
Juarez de Morais afirma que o apoio de 21 servidores ajudou na solução dos 78 homicídios de Pimenta Bueno, que não tem uma delegacia especializada em homicídios. Ele afirma que, apesar do baixo número de funcionários e da dificuldade estrutural, a união e o comprometimento com o trabalho garantem a solução dos casos.
“Nós priorizamos os crimes contra a vida. Quando ocorre um homicídio, todos os outros crimes ficam na espera e nosso efetivo se dedica na solução do homicídio até a conclusão”, diz Juarez.
Na delegacia de Pimenta Bueno também atua o delegado Frankie Lopes de Souza. Ao G1, ele diz que as primeiras horas após o crime são fundamentais para a identificação dos suspeitos.
“Acompanhamos a nossa equipe até a cena do crime, trazemos testemunhas e suspeitos para serem ouvidos na delegacia. Hoje em dia também contamos com as provas técnicas, como DNA e digitais colhidas na cena, então utilizamos todos os recursos fornecidos pela polícia para esclarecer nossos casos”, afirma Souza.

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »