PARANÁ – TIO MATOU E ARRANCOU OS SEIOS DA SOBRINHA

set 15 • Polícia • 1389 Visualizações • Nenhum comentário em PARANÁ – TIO MATOU E ARRANCOU OS SEIOS DA SOBRINHA

  • PARANÁ - TIO MATOU E ARRANCOU OS SEIOS DA SOBRINHA
Na manhã deste último sábado (13) o homem identificado como Agrevil do Carmo Santos de 50 anos contou como matou a sobrinha Janaína de Fátima Matos de 21 anos em Cerro Azul (86 km da capital Curitiba). Segundo informações, a jovem morava na casa dele há quatro anos para trabalhar e estudar. Ele morava com a esposa e dois filhos. Os pais da garota moram na localidade de Ribeirão do Veado (12 km de Cerro Azul). Na semana passada a garota anunciou que iria se mudar para a casa do noivo em Rio Branco do Sul-PR. De acordo com a Polícia Civil o homem tinha um ciúme doentio pela sobrinha e ficou inconformado com a saída dela de casa. “Eu não queria que ela fosse embora, ela era uma boa companhia” relatou Agrevil. Por esse motivo ele cometeu o crime. O tio detalhou o assassinato e demonstrou frieza ao relatar o passo a passo. Ele contou que esperou a jovem almoçar em casa e quando ela iria levar roupas na lavanderia foi golpeada no pescoço. “Fiz porque gostava muito dela” disse o assassino. Segundo a polícia, ele tentou simular um assalto, queria que parecesse um latrocínio deixando três notas de R$ 50,00 reais próximas ao corpo e pegando o celular da garota. Depois do crime, ele cortou os seios dela e foi arremessá-los no rio juntamente com o celular. “Joguei os dois seis no rio junto com o celular dela, os seios dela eram bonitos”, disse. Friamente, o tio acompanhou todo o trabalho da equipe de perícia e do Instituto Médico Legal (IML). De acordo com o investigador Rodrigo Augusto, no velório da vítima ele servia café para as pessoas, chorou com o noivo e chegou a pedir para a polícia que prendessem quem teria feito isso com ela. Uma multidão em frente à delegacia aguarda a transferência de Agrevil ao Centro de Triagem (CT) da Penitenciária de Piraquara-PR. “Não sei por que eu fiz isso, me deu um apagão, estou arrependido, acabei com a minha vida, quero pedir perdão para a família dela, mas sei que eles nunca vão me perdoar”concluiu Agrevil.

Fonte: PortalPlantaoPolicial

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »