PREVISÃO DE UMA DISPUTA ACIRRADA NA ELEIÇÃO AO GOVERNO

ago 9 • Destaque, Política • 1130 Visualizações • Nenhum comentário em PREVISÃO DE UMA DISPUTA ACIRRADA NA ELEIÇÃO AO GOVERNO

A corrida pelo voto se acentua, agora que as candidaturas estão todas postas. Antes do início do horário eleitoral gratuito (onde Confúcio e Expedito terão mais que cinco minutos diários; Jaqueline Cassol cerca de quatro minutos; Padre Ton com três e meio e Pimenta de Rondônia com apenas um minuto e meio), as coligações já estão monitorando os passos do eleitorado através de pesquisas. Até com aquelas internas, não registradas no TRE, mas orientam as ações de campanha. O Ibope já realizou sua primeira pesquisa também. Os resultados sairiam ainda já sábado. E pesquisa de um instituto considerado sério (mesmo com as costumeiras suspeitas em todas as eleições)  sempre serve como um norte importante para os candidatos. nestas alturas da disputa. A verdade é que qualquer pesquisa agora, pode ser não mais que um retrato deste momento, quando a verdadeira campanha sequer começou. Há pelo menos três forças que se equiparam na disputa pelo governo rondoniense e uma quarta, que pode surpreender.

 

As coligações lideradas por Confúcio, Jaqueline e Expedito são fortes, com partidos e lideranças importantes. Padre Ton está sozinho, mas o PT tem um eleitorado fiel e pode ser (por que não?), uma daquelas surpresas que algumas eleições reservam, contra todos os prognósticos. Há ainda, Pimenta de Rondônia, do PSOL, figura simpática, respeitada, mas com chance muito perto do zero, até por não ter estrutura para a disputa. A verdade é que qualquer previsão, agora, seria apenas exercício de futurologia. Então, na Hora H, quem terá mais cacife e conseguirá convencer o eleitorado rondoniense? A resposta para esta pergunta é o que todos gostaríamos de saber. Por enquanto, olho nos candidatos, em suas promessas e discursos. E depois, que tenhamos sorte de escolher o melhor…

É CENSURA!

Não tem outra expressão: algumas exigências e determinações do Ministério Público Eleitoral em relação à imprensa, nada mais é do que pura censura. Como a maioria dos profissionais e os veículos em que eles trabalham não têm condições de pagar as multas altíssimas, não há outro caminho a não ser acatar as ordens, algumas delas bem acima do bom senso. Claro que tem que haver algum controle, para evitar os exageros, mas mais que isso é ignorar a Constituição, que dá aos cidadãos e, claro, também aos profissionais de imprensa, amplo direito à informação.

MEU NOME É ALUIZIO!

Na corrida pelo Senado, o que terá muito pouco tempo para falar com o eleitor será o candidato com menor estrutura. O professor Aluizio Vidal ficou com cerca de 50 segundos para falar. Terá que usar a tática de Enéas, quando foi candidato à Presidência. Uma pena, porque Aluizio certamente teria muito a dizer. Os demais candidatos (Acir Gurgacz e Moreira Mendes, com mais de três minutos e Ivone Cassol com dois e meio), já terão mais tempo para conversar com o eleitor.

COMO SE DEFENDER?

Fiscais da Prefeitura, contratados para isso, pouco fazem para ajudar motoristas e orientar o caótico trânsito. Não se vê alguém entre eles assumir funções de apoio aos condutores de veículos, inclusive em locais perigosos e em horários de pique. Parece para a comunidade, que a função principal deles é apenas alimentar a famigerada indústria da multa. Motorista que recebeu uma notificação de 127 reais, dias atrás, por estar sem cinto de segurança, comentou a coluna que não há como reverter uma arbitrariedade, que ele se diz vítima, porque ele não tem como provar que o “guardinha” cometeu um erro.

POBRE CONTRIBUINTE!

Qualquer fiscal, a qualquer distância, sem prestar contas a ninguém, sem precisar de qualquer comprovação (como câmeras de segurança, por exemplo), multa a torto e a direito. A vítima não tem como contestar, porque ela é quem precisa provar que houve um erro, mas também não tem como fazê-lo, já que é uma palavra contra a outra. Neste ritmo, inflam os cofres da Prefeitura com multas e mais multas, enquanto o pobre contribuinte não sabe em que porta bater para pedir socorro. Lamentável!

ESTÃO SOLTOS

Gangues fortemente armadas, que não contam até três para atirar contra a polícia,  tem sido presas em Porto Velho. Nesta semana, mais um caso. Os bandidos tentavam roubar uma loja e tinha até um aparelho de rádio frequência, para acompanhar a movimentação policial. Quando foram flagrados, atiraram e quase mataram um dos seus perseguidores. Quatro foram presos, mas um “di menor”, protegido pela Lei, podendoa roubar e matar, já deve estar solto para fazer tudo de novo.

FALANDO EM POLÍTICA

Experiente e profundo conhecedor da política rondoniense (e de todos os principais candidatos ao Governo, Senado, Congresso e de muitos que disputam uma cadeira na Assembleia Legislativa), Léo Ladeia comenta o que pode acontecer nas eleições deste ano. Ele bate um papo com Sérgio Pires, no programa Candelária Debate, transmitido para mais de 20 emissoras afiliadas à TV Candelária/Rede Record em todo o Estado. Vale a pena assistir, para ficar bem informado. Vai ao ar neste sábado, depois do programa dos Dinossauros (Papo de Redação na TV), as partir das 13h20.

PERGUNTINHA

Gastando quase 30 milhões de reais em suas campanhas, os candidatos à Presidência Dilma Rousseff, Aécio Neves e Eduardo Campos parecem disputar a eleição num país  de  tantos pobres como o nosso?

 

disputa

 

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »