Rondoniense de 17 anos desbanca os melhores no rodeio da Expoari

ago 1 • Geral, Sem categoria • 174 Visualizações • Nenhum comentário em Rondoniense de 17 anos desbanca os melhores no rodeio da Expoari

Texto de Eugênio José – cronista de rodeio

 Após nove dias de festa chegou ao fim aquele que é considerado o maior rodeio do norte do Brasil. Uma disputa paralela entre competidores de Rondônia e o resto do Brasil mexeu com o público tornando disputa final ainda mais atrativa. O domingo começou com os touros mostrando que os competidores não iriam mandar na competição como estava acontecendo.

Para a surpresa de todos e contrariando o esperado, sete competidores caíram, incluindo o líder da competição naquele momento José Donizett. Nessa hora a liderança era de um competidor da Rondônia e na queda de José Donizett o público vibrou, começava ali a participação extra arena em favor dos competidores da Rondônia e o clima Rondônia X Brasil ia aumentando.

 A semifinal terminou e dois paulistas estavam entre três competidores da Rondônia.

JOVEM EXPERIENTE

A liderança do rodeio ficou para Eudimar Oliveira, o garoto tímido de 17 anos, que já havia ganhado o rodeio qualify na primeira semana de Expoari. Ele é de Cerejeiras e competiu com os melhores peões do país.

Na hora do sorteio o panorama pareceu desfavorável para Eudimar. Ele sorteou um touro invicto e o segundo lugar Dário França, também da Rondônia sorteou ‘Fuleco’. Dario estava muito próximo de Eudimar (2 pontos) e naquela análise que a gente faz ali dentro da arena, cheguei a pensar que tudo estava favorável para Dário, mesmo se Eudimar parasse, Fuleco poderia dar uma nota maior e ele ser campeão.

Podia, mas, como sempre falo, rodeio não tem roteiro. ‘Fuleco’ acabou saindo difícil derrubando Dário e acabou cortando seu supercílio após uma pancada no rosto e Fuleco acabou confirmando o título de melhor touro do rodeio. Era chegada a hora de Eudimar montar. Quando observo, a arquibancada, grande parte do público estava de pé, Almir Cambra observou e relatou ao microfone o que estava acontecendo, todo mundo de camarotes, mesas, de pé. A liderança naquele momento era de um paulista e se Eudimar caísse, o título iria para o sudeste. Ao abrir a porteira, parecia que tudo desmoronar, mesmo Eudimar, que já eliminou o pulo mais difícil do até então invicto touro Linha Direta da Cia Cani; o touro entrou na esquerda na mão de Eudimar, que foi controlando em meio a euforia do público. Ao descer do touro, seus amigos o carregaram na arena para delírio do público.

Publicações Relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

« »